Fotografia: FC Famalicão
Fábio Martins apela ao bom senso no futebol português

«É execrável a quantidade de mensagens de ódio e insultos que nós, jogadores de futebol, recebemos», disse o extremo do FC Famalicão.

Pedro Vieira da Silva/Lusa
12 Fev 2020

O jogador do Famalicão Fábio Martins reforçou hoje o «sentimento de injustiça» pelo empate com o Benfica, nas meias-finais da Taça de Portugal de futebol, que garantiu a passagem dos ‘encarnados’ à final, e pediu respeito.

Numa mensagem divulgada nas redes sociais, o jogador, emprestado pelo Sporting de Braga à formação famalicense, ressalvou o espírito de sacrifício da equipa frente ao Benfica e garantiu que toda a equipa “deu tudo o que tinha e o que não tinha” dentro das quatro linhas, criticando, no entanto, o espírito de ódio que se vive em torno do futebol.

«De maneira nenhuma quis, com a minha ‘flash interview’, desrespeitar ninguém. Quem me conhece, sabe que nunca o faria e, acima de tudo, a minha educação é algo que prezo muito. Limitei-me a mencionar factos. Repito, na minha opinião, fomos claramente superiores e merecíamos ter passado a eliminatória. Ponto. Respeito quem possa pensar o contrário, mas esta foi rigorosamente a minha forma de ver os dois jogos», salientou.

O jogador frisou que «o ódio que existe no futebol» não são os atletas que criam e denunciou as inúmeras mensagens insultuosas que os jogadores recebem.

«Um jogo de futebol tem vários momentos e tem como essência mexer emocionalmente com as pessoas, mas acreditem que o ódio que existe no futebol português não somos nós (que somos os protagonistas) que o criamos. Porque lá dentro existe apenas a rivalidade normal de um jogo de futebol, que acaba quando o árbitro apita para o final do jogo. Depois disso, conversamos, trocamos ideias, trocamos camisolas, desejamos sorte e seguimos a nossa vida», explicou, pedindo ainda compreensão aos adeptos: “Vocês têm de perceber que somos humanos. Não somos máquinas infalíveis, não temos um chip que nos diferencia de vocês. Nós somos apenas pessoas perfeitamente normais que fazem do futebol o nosso trabalho”.

Fábio Martins revelou que se sente magoado com o clima criado em torno do futebol e apelou ao bom senso.

«É execrável a quantidade de mensagens de ódio e insultos que nós, jogadores de futebol, recebemos. Para além de fazermos o que fazemos dentro das quatro linhas, temos o direito de ter a nossa opinião sobre o que aconteceu, tal como vocês têm a vossa», acrescentou.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up