Fotografia: DM

Conferência Episcopal Portuguesa apoia realização de referendo à eutanásia

Bispos católicos defendem opção dos «cuidados paliativos» como alternativa que respeita a vida

Redação/Lusa
11 Fev 2020

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou hoje o apoio às iniciativas em curso contra a despenalização da eutanásia, nomeadamente a realização de um referendo.

A posição foi divulgada em comunicado, após reunião do Conselho Permanente da CEP, que decorreu em Fátima, com os bispos a voltarem a apelar aos profissionais de saúde para não cederem a atos como a eutanásia, o suicídio assistido «ou a supressão da vida», mesmo em casos de doença irreversível.

«A opção mais digna contra a eutanásia está nos cuidados paliativos, como compromisso de proximidade, respeito e cuidado da vida humana até ao seu fim natural», lê-se no documento.

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), o padre Manuel Barbosa, disse aos jornalistas, no final da reunião do Conselho Permanente, que o referendo, «embora a vida não seja referendável», pode ser, nas atuais circunstâncias, uma forma «útil para defender a vida no seu todo, desde o princípio até ao seu fim natural».

Quanto à forma como os católicos podem intervir na defesa do referendo, o padre Manuel Barbosa revelou que «cada diocese verá a forma concreta» como o fará.

A Assembleia da República agendou para 20 de fevereiro o debate dos projetos do BE, PS, PAN e PEV sobre a despenalização da morte medicamente assistida.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up