Vídeo: Nuno Cerqueira

Pescadores ponderam protesto.

Nuno Cerqueira
7 Fevereiro 2020

A operação que levou à apreensão de lampreias em Esposende e a forma de atuação da Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR, nomeadamente o sub-Destacamento de Controlo Costeiro (DCC) de Esposende, está a causar revolta junto da comunidade piscatória de Esposende.

Os pescadores ponderam inclusive levar uma ação junto do posto daquela unidade militar em Esposende.

 

O presidente da Associação de Pescadores, em declarações ao E24, referiu que a atuação da DCC tem vindo agravar as condições de trabalho e que está a fomentar a ilegalidade.

Augusto Carneiro fala mesmo em «abuso de poder».

«Ainda hoje apreenderam lampreia legal. E não é só isso, há uma perseguição a esta comunidade sempre que sai para pescar. Há incêndios nas embarcações, nas redes, há embarcações que são afundadas, material que desaparece, acidentes na Marina e ninguém vê da DCC da GNR, mas se um pescador, legal, vai ao trabalho…eles estão logo a apreender tudo», denuncia Augusto Carneiro,

As queixas surgem depois de mais uma operação que levou à apreensão de embarcações, lampreias e artes de pesca nos rio Cávado (Esposende) e Lima (Viana do Castelo, e que culminou com a identificação de sete indivíduos.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]


Outros Vídeos

Scroll Up