Fotografia: DM

Apresentação do Rali de Portugal começou com homenagem a Paulo Gonçalves

Prova passa por Cabeceiras de Basto, Fafe e Vieira do Minho.

Pedro Vieira da Silva
16 Jan 2020

A cerimónia da apresentação do Rali de Portugal, sexta prova do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC), organizada pelo Automóvel Club de Portugal (ACP), começou com uma homenagem prestada ao piloto português Paulo Gonçalves, que morreu vítima de um acidente quando participava na presente edição do Dakar, que decorre na Arábia Saudita, tendo sido prestado um minuto de silêncio.

Na ocasião, Carlos Barbosa, presidente do ACP, lembrou que Paulo Gonçalves foi patrocinado por este clube no seu primeiro Dakar, recordando o piloto como «um gladiador, um homem extraordinário, sempre pronto a ajudar quem estava em dificuldades».

Em relação à prova, a importância do retorno financeiro foi realçada por Carlos Barbosa, que enfatizou os 141 milhões de euros registados na edição de 2019.

O ACP anunciou que a prova, a decorrer entre 21 e 24 de maio, terá mais quilómetros do que no ano passado, com uma extensão total de 1.582,25, contra os 1.463,55 de 2019.

Ao todo, serão disputados 330,98 ao cronómetro, divididos por 22 provas especiais de classificação (PEC), enquanto em 2019 foram 311,59, cumpridos em 20 PEC.

Em 21 de maio, primeiro dia da prova, o ‘shakedown’, que serve para os pilotos procederem a afinações finais, volta a ter lugar em Paredes, arrancando logo às 9h00, com a partida oficial, novamente da porta férrea da Universidade de Coimbra, agendada para as 20h30.

Para o dia 22, disputam-se as primeiras especiais da prova, na zona centro, primeiro com duas passagens por Lousã (1 e 4), Góis (2 e 5) e Arganil (3 e 6), seguindo depois o rali para norte, com o regresso de Mortágua (7), e fechando o primeiro dia em Lousada (8).

No sábado, estão previstas outras oito provas especiais, todas com duplas passagens, começando o dia em Vieira do Minho (9 e 12), Cabeceiras de Basto (10 e 13) e Amarante (11 e 14), para o Porto também marcar o seu regresso com a ‘Porto Street Stage’, um troço de apenas 1,93 quilómetros, que será cumprido duas vezes pelos concorrentes (15 e 16).

O último dia da prova, a decorrer no domingo, conta com mais seis troços, também a serem percorridos por duas vezes, destacando-se o regresso de Felgueiras (17 e 20), que abre o dia, seguindo-se Montim (18 e 21) e Fafe (19 e 22).

A segunda passagem por Fafe volta a ser disputada em formato de ‘Power-Stage’, com o aliciante de atribuir bonificações aos pilotos melhor classificados.

O Rali de Portugal é pontuável para o Campeonato do Mundo de Ralis, com os carros Rally1 (ex-WRC), e para o campeonato WRC2, com os carros Rally2 (ex-R5).

durante o Vodafone Rally de Portugal 2019, de 30 de Maio a 2 de Junho – Foto: João da Franca / ACP

A etapa portuguesa do Mundial está integrada no Campeonato de Portugal de ralis e este ano conta ainda com a presença da Peugeot Rally Cup Ibérica, sendo a prova portuguesa a primeira do calendário desta competição, agora disputada com o novo Peugeot 208 Rally 4.

A 54.ª edição do Rali de Portugal, sexta etapa do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC), decorre entre 21 e 24 de maio.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up