Fotografia: Avelino Lima

Militares recebidos após missão de seis meses no Afeganistão

A cerimónia de entrega do Estandarte Nacional da 3.ª Força Destacada no âmbito da missão “Resolute Support”, no Afeganistão, foi presidida pelo Chefe do Estado-Maior do Exército.

Rita Cunha
11 Jan 2020

Os «excelentes» resultados operacionais alcançados pelos 170 militares portugueses que, entre os meses de maio e novembro de 2019, estiveram em missão no Afeganistão «confirmam a robustez do modelo de formação e treino vigente no Exército», considerou o general José Nunes da Fonseca, Chefe do Estado-Maior do Exército, esta manhã, durante a cerimónia de entrega do Estandarte Nacional da 3.ª Força Destacada no âmbito da missão “Resolute Support”, da NATO.

Perante a presença de responsáveis políticos, militares e população que se quis juntar à cerimónia na Praça Municipal, em Braga, o responsável deu nota do «orgulho» e «satisfação» por receber os militares «após o cumprimento de mais uma missão numa das mais conturbadas regiões do mundo» onde, desde 2015, a NATO tem contribuído para o processo de capacitação e de reforço do setor de segurança das respetivas forças armadas. Uma missão que considerou «muito exigente e de enorme responsabilidade ante o complexo xadrez étnico, social e securitário» daquele país e, concretamente, do aeroporto internacional Hamid Karsai.

«A postura irrepreensível e o empenhamento inexcedível dos militares da força demonstrados durante a missão motivaram rasgados elogios não apenas do comando da operação NATO mas dos demais comandos e forças com as quais os nossos militares operam. Trata-se de um capital de prestígio que importa preservar e incrementar, que não só incute orgulho aos militares mas que, em paralelo, demonstra o valor e a tenacidade do soldado português, nomeadamente a sua postura próxima e sua capacidade de se adaptar às mais diversas condições e circunstâncias», disse o general.





Notícias relacionadas


Scroll Up