Fotografia: DM

Grupo Diário do Minho e Espaço Vita solidários com a Cruz Vermelha

Campanha solidária permitiu angariar diversos bens alimentares que foram entregues hoje.

Rita Cunha
7 Jan 2020

O Grupo Diário do Minho (jornal Diário do Minho e revista Minha) e o Auditório Vita uniram as mãos numa campanha solidária que permitiu angariar diversos bens alimentares para a delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa.

Os alimentos recolhidos foram entregues na manhã de hoje, nas instalações provisórias da instituição. Massa, arroz, leite, enlatados e bolachas. Foram várias as ofertas deixadas pelos colaboradores e visitantes dos espaços, as quais ajudarão a Cruz Vermelha Portuguesa dar resposta às solicitações diárias, quer na cantina social, quer através da elaboração de cabazes para famílias mais carenciadas.

«É um prazer para nós podermos ajudar e contribuir para uma uma instituição como a Cruz Vermelha de Braga que apoia tantas pessoas necessitadas do concelho», referiu, na ocasião, Damião Pereira, diretor do jornal Diário do Minho.

Da parte da CVP, o presidente da delegação de Braga, que fez questão de receber os responsáveis pelas entidades associadas à iniciativa, agradeceu o gesto e destacou a importância do mesmo para fazer face às necessidades mais prementes. «Muito obrigado. É sempre bom um donativo destes», disse Armando Osório.

A par dos bens alimentares, da parte do Auditório Vita foram entregues 300 euros resultantes do concerto solidário com o grupo “Vozes da Rádio” e a Orquestra Filarmónica de Braga, realizado no passado dia 19 de dezembro.

Para Armando Osório, trata-se de uma verba importante para a realização das obras no edifício-sede localizado na Rua 31 de Janeiro, as quais arrancaram recentemente.

O presidente da delegação de Braga aproveitou para vincar que todos os que, a título particular ou institucional, contribuírem para a concretização da obra verão o seu nome gravado num painel de vidro como forma de agradecimento.

Depois desta primeira fase, que durará três meses, segue-se uma segunda, mais morosa, de entre oito a nove meses. Inaugurar as novas instalações nas comemorações do 150.º aniversário da delegação de Braga da CVP, e outubro deste ano, é o grande desejo que a instituição tentará concretizar.





Notícias relacionadas


Scroll Up