Espaço do Diário do Minho

Por favor, entendam-se!
27 Dez 2019
António Cândido de Oliveira

Custa-me muito ver as pessoas desentenderem-se!

Seja o desentendimento familiar que leva à destruição das famílias e tantas vezes é acompanhado por muito sofrimento de crianças.

Seja o desentendimento com os outros que põe fim a boas amizades.

Seja o desentendimento profissional, que tanto prejudica o bom andamento das entidades onde trabalhamos.

Sejam outros desentendimentos políticos, religiosos ou de qualquer outra natureza que conduzem a malquerenças, ódios, agressões, terrorismo, guerras.

Entendamo-nos!

Entendamo-nos para dar conforto e alegria às famílias.

Entendamo-nos para construir boas e duradouras amizades.

Entendamo-nos para fazer prosperar as organizações (empresas ou outras) onde trabalhamos.

Entendamo-nos para ajudar a superar ou minorar o sofrimento de tantos que desde o nascimento ou desde certa altura ficaram longe das alegrias que a Vida proporciona ao comum das pessoas.

Entendamo-nos, respeitando as opiniões dos outros, esperando, claro, reciprocidade. Mas, mesmo sem reciprocidade, demonstremos com humildade que não é por responsabilidade nossa que o entendimento não ocorre.

E precisamos tanto do entendimento entre todos para tantas e boas coisas!

Para dar alegria às pessoas e desde logo às crianças que não têm culpa das zangas dos adultos.

Para podermos passar pelos outros com sorrisos, desejando-lhes o Bem e estando dispostos a ajudar os que precisam de saúde, de apoio económico ou de outra natureza.

Para proporcionar bem estar e progresso nos locais onde trabalhamos.

Para construir uma sociedade mais pacífica, mais justa e melhor para todos.

De que estamos à espera para nos entendermos?

Apenas de agir. Sim. Sabemos que o entendimento não é fácil. Sabemos que é exigente e existe persistência. Mas também por isso vale a pena.

Façamos da vida, da nossa vida um contributo para o Bem.

E mal de nós quando não sabemos o que é o Bem!

Bom Ano! (que não é só o próximo mas os muitos que desejamos bons para todos).



Mais de António Cândido de Oliveira

António Cândido de Oliveira - 12 Set 2019

No ano de 1973, foi criada a Universidade do Minho e 2023 está à porta, devendo começar a ser preparado o cinquentenário da Universidade, se é que não está a ser já. O desenvolvimento desta Universidade tem sido notável, posicionando-se, hoje, entre as cinco primeiras das catorze universidades públicas existentes no nosso país. É, também, […]

António Cândido de Oliveira - 9 Ago 2019

Diz-se sem a devida reflexão, a meu ver, que as greves se fizeram para causar danos e que quanto mais danos provocarem, nomeadamente aos cidadãos, mais se afirma o valor da greve. Precisamos de ir à origem das greves para verificar se assim é. Elas surgiram com a Revolução Industrial, tendo a finalidade de defender […]

António Cândido de Oliveira - 13 Jun 2019

O conselho geral da Universidade do Minho, constituído por 23 membros, é uma espécie de parlamento da universidade, no qual os estudantes têm uma importante participação através de 4 (quatro) elementos eleitos pelos seus pares. O conselho geral é ainda composto por 12 professores/investigadores eleitos de entre eles, 1 funcionário eleito pelo corpo de funcionários […]


Scroll Up