Fotografia: Nuno Cerqueira

“Estação Náutica” une 23 entidades para programar “oferta integrada” em Esposende

Apresentação decorreu no Fórum Rodrigues Sampaio.

Nuno Cerqueira
21 Dez 2019

O Município de Esposende assinou um protocolo com 23 entidades que prevê o desenvolvimento de programas em redes de forma a oferecer um novo produto de consumo turístico: “Estação Náutica”.

O objetivo, como foi reforçado na apresentação que decorreu no Forum Rodrigues Sampaio, não é fazer crescer o número de turistas, mas sim combater a sazonalidade.

Restaurantes, associações desportivas, hoteleiros, promotores turísticos, empresas, organizações ambientais, entre outros, juntaram-se ontem para se comprometerem com o Município de Esposende de forma a dar corpo a um projeto – Estação Náutica – que pode reforçar os padrões de qualidade na oferta turística do concelho da foz do Cávado.

Rio e mar são os elementos chave, aproveitando o vento, que faz, por exemplo, de Esposende um dos locais mais procurados no mundo para o treino de kitesurf, para potenciar uma oferta integrada que junta, por exemplo, montanha, gastronomia, vinhos, património, desporto náutico e pedestre, situação esta que já valeu uma “certificação náutica” por parte do Fórum Oceano no âmbito do projeto “Portugal Náutico”.

«Deverá ser um meio para promover o território e dinamizar a atividade económica local», sublinhou o presidente de Câmara, Benjamim Pereira, destacando, não só a componente turística, mas também a investigação científica e tecnologia marinha, vertentes “smart”prestes a arrancar com a colaboração da Universidade do Minho.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up