Fotografia: DM

Campanha do Banco Alimentar Contra a Fome arrancou hoje

A campanha realiza-se ao longo do fim de semana, em todo o país.

Rita Cunha
30 Nov 2019

Arrancou hoje mais uma campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar Contra a Fome que, só no distrito de Braga, abrange mais de uma centena de supermercados em diversos concelhos.

Desde os mais adultos aos mais novos, seguindo-lhes o exemplo, as sacas de papel cheias de bens alimentares vão-se amontoando nas caixas próprias para o efeito. Os voluntários, muitos deles crianças, acomodam os artigos para que, dali a algum tempo, sejam recolhidos e levados para o armazém em Semelhe onde, também lá, centenas de pessoas dão o seu melhor para separar e embalar os alimentos que, posteriormente, serão distribuídos por instituições Privadas de Solidariedade Social, selecionadas e acompanhadas ao longo do ano pelo Banco Alimentar de Braga.

No ano passado, através destas campanhas e do contributo de empresas, o Banco Alimentar Contra a Fome de Braga ajudou 64.800 pessoas carenciadas com mais de 2392 toneladas de alimentos.

Este ano, com o apoio da Federação Portuguesa de Futebol, a iniciativa estende-se aos estádios de futebol onde se realizarão jogos da 1.ª Liga nesta jornada, concretamente ao de Moreira de Cónegos, hoje, às 15h30; ao de Barcelos, onde joga amanhã o Gil Vicente às 20h00; e ao de Braga, onde joga na segunda-feira o Sporting Clube de Braga às 18h45.

Em Lisboa, o Presidente da República visitou ontem o Banco Alimentar Contra a Fome e apelou à participação na campanha no fim de semana, descrevendo-a como uma «rede social de carne e osso».

Durante a visita, acompanhado pela presidente da instituição, Isabel Jonet, Marcelo Rebelo de Sousa disse que «é este tipo de redes que faz viver o tecido social português onde o Estado não chega» e pediu a todas as pessoas que «não deixem de contribuir» na medida das suas possibilidades.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up