Fotografia: Nuno Cerqueira

Produtores de leite em Esposende para refutar “críticas climáticas” à agricultura e à pecuária

Colóquio Nacional do Leite.

Redação / NC
28 Nov 2019

O presidente da Associação dos Produtores de Leite de Portugal (APROLEP) refutou hoje os “ataques cruzados e sucessivos” à agricultura e à pecuária e sublinhou que aquelas atividades são “contribuintes muito pequenos” para as alterações climáticas.

A propósito do Colóquio Nacional do Leite, que vai decorrer nesta sexta-feira em Esposende, Jorge Oliveira defendeu que é “urgente” desmistificar a ideia de que “a agricultura e a pecuária estão a destruir o planeta”.

“Se fizermos as contas entre o deve e o haver, as emissões de gases são muito reduzidas, a agricultura e a pecuária são contribuintes muito pequenos para o aquecimento global”, referiu.

Lembrou que aquelas atividades, com as culturas da erva e do milho, são líderes na captura de carbono.

“É claro que os animais emitem metano, mas, feitas as contas, a diferença é muito pequena”, acrescentou.

Lembrou que a agricultura é “a profissão mais antiga do planeta” e que “não pode vir agora ser apontada como a causa de todos os males”.

Para o líder da APROLEP, esses ataques resultam, muitas vezes, de falta de informação.

“O desafio de comunicar agricultura” é, precisamente, um dos temas do Colóquio Nacional do Leite, que vai decorrer na sexta-feira.

A organização do colóqio é da APROLEP, com a colaboração da Associação dos Jovens Agricultores do Distrito do Porto.





Notícias relacionadas


Scroll Up