Fotografia: Arquivo DM

Maioria dos concelhos do Minho perdeu bombeiros voluntários

Apenas com corporações de bombeiros voluntários, Famalicão é o que está melhor servido, em todo o Minho, por operacionais. São 296.

Joaquim Marrtins Fernandes
26 Nov 2019

A grande maioria dos 24 concelhos minhotos acumula, desde 2010, uma diminuição do número de bombeiros. Até ao final de 2018, foram 239 operacionais que as corporações perderam.

Apenas seis municípios escaparam à tendência da perda de bombeiros, mas somente quatro conseguiram um aumento relevante, num quadro regional em que mais se destaca pela o concelho de Vila Nova de Famalicão.

Um estudo publicado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) revela que as 33 corporações de bombeiros voluntários e profissionais que servem os 24 concelhos dos distritos de Braga e de Viana do Castelo acumulam uma perda de 239 operacionais entre 2010 e 2018. No período em análise, o número total de bombeiros desceu de 2310 para 2071.

O documento faz saber que o concelho de Vila Nova de Famalicão, onde só existem bombeiros voluntários, é o que está melhor servido, no que respeita ao número de operacionais. As três Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários existentes no concelho tinham, no ano passado, 296 operacionais, ou seja, mais 20 do que os que tinham em 2010.

No distrito de Viana do Castelo, a melhor evolução foi registada no concelho de Arcos de Valdevez, onde o número de bombeiros voluntários cresceu 19 por cento entre 2010 e 2018.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up