Fotografia: Avelino Lima

Colégio João Paulo II desafiado a reforçar o seu projeto educativo

O desafio foi lançado hoje pelo Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, que benzeu as novas instalações na zona das Sete Fontes.

Rita Cunha
21 Nov 2019

O Arcebispo de Braga desafiou o Colégio João Paulo II a «reforçar aquilo que é o seu estatuto ou o seu projeto educativo» de modo a que seja posto em prática «tal e qual como é».

O repto foi lançado esta manhã, precisamente no dia em que a instituição inaugurou um novo polo na Travessa Rafael Bordalo Pinheiro, na zona das Sete Fontes. Um crescimento que «não foi fácil em termos de estruturas», sendo agora «necessário investir noutro crescimento».

«Queremos que a criança vá crescendo, faça o seu crescimento na idade, mas depois também nos conhecimentos e na integração na sociedade. Também o Colégio deve ter uma preocupação por ir crescendo no reforçar aquilo que é o seu estatuto ou o seu projeto educativo. Penso que esta é uma oportunidade para sublinhar isso. Dizer que existe um projeto educativo, que se acredita nele e que é preciso investir para que este seja posto em prática tal como é», referiu D. Jorge Ortiga.

A vereadora da Educação da Câmara Municipal de Braga, Lídia Dias, também esteve presente, salientando a aposta do Colégio em «áreas absolutamente fundamentais» como as artes e as ciências e que permitem «acompanhar um mundo cada vez mais global».

Com capacidade para mais 550 alunos, este conta já com 258 crianças desde o berçário até ao 4.º ano de escolaridade. Com esta ampliação do espaço, e tendo em conta que o polo de Dume (do 5.º ao 12.º ano) se encontra lotado com 870 alunos, a instituição passa a ter capacidade para 1420.

«Os berçários já estão lotados outra vez e em janeiro vamos abrir mais dez. A creche toda já vai ter lista de espera para o ano novamente», explicou o presidente da instituição, Mário Paulo Pereira, à margem da cerimónia.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up