Fotografia: Joaquim Martins Fernandes
Braga quer incluir sexualidade no projeto de vida de deficientes

Inclusão da sexualidade reivindicada pelas instituições de solidariedade social bracarenses.

Joaquim Martins Fernandes
21 Nov 2019

A inclusão da temática da “sexualidade na deficiência” na edição de 2019 da Semana da Inclusão de Braga foi o mote para uma reivindicação do «fim do tabu» que constitui a sexualidade nas pessoas com deficiência mental.

«É preciso ir mais longe do que a abordagem tímida que vai ser feita na edição deste ano da Semana da Inclusão», disse a diretora do Instituto Novais e Sousa, na conferência de imprensa de apresentação do programa da Semana da Inclusão, que decorre de 25 de novembro a 3 de dezembro, sob tema “Incluir +.

Maria Lucinda Macedo Vilaverde assumiu que «o problema da sexualidade é uma questão central» no tratamento de pessoas com deficiência mental» e «uma grande lacuna que nega direitos fundamentais e de cidadania das pessoas com problemas mentais».

A tomada de posição da diretora do instituto que acolhe crianças e adultos com deficiência mental foi secundada pela generalidade das instituições de solidariedade social presentes na conferência de imprensa. Também a Chefe de Gabinete da Presidência da Câmara Municipal de Braga, Ana Ferreira, assumiu a importância da temática. «Acredito que a Universidade do Minho e o Hospital de Braga estarão disponíveis para colaborar nesta matéria, que também mobiliza o Pelouro da Saúde da Câmara Municipal de Braga», afirmou.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up