Fotografia: Joaquim Martins Fernandes

Câmara premeia Igreja de Vieira por obra feita onde o Estado falha

Arciprestado de Vieira do Minho foi condecorado com Medalha de Honra do Município Grau Ouro, a mais importante do Município vieirense, pela vasta obra cultural, educacional, patrimonial, social e cívica.

Joaquim Martins Fernandes
15 Nov 2019

O presidente da Câmara Municipal e a presidente da Assembleia Municipal de Vieira do Minho enalterecam hoje o trabalho que, ao longo dos anos, tem sido desenvolvido pelo Arciprestado de Vieira do Minho em favor dos vieirenses.
Os dois principais representantes políticos do Município coincidiram na tese de que as organizações da Igreja vieirense têm conseguido das as respostas nas mais diversas áreas da atividade, quando o Estado falha na resposta às necessidades dos munícipes.
«Hoje, felizmente, o Estado vai fazendo a sua parte no apoio às populações. Mas, verdade seja dita, onde o Estado falha, lá está a Igreja a suprir deficiências, numa cooperação positiva não só com o Estado, mas também com as autarquias», afirmou ontem o presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho.
António Cardoso falava na sessão solene das comemorações dos 505 anos do concelho, que ficou marcada pela atribuição da Medalha de Honra do Município, Grau Ouro, ao Arciprestado de Vieira do Minho.
O galardão entregue à Igreja liderada pelo arcipeste Albano Jorge da Costa foi justificado pelo autarca no «muito» que «a instituição religiosa católica secular, que inclui sacerdotes e leigos, tem feito pelo povo de Vieira do Minho e concelhos vizinhos, no plano cultural, educacional, social, patrimonial, cívico e religioso», sublinhou o autarca, que não escondeu que «foi com muita honra» que entregou «o mais alto galardão municipal» ao padre Albano Costa.
[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up