Fotografia: Jorge Oliveira
Núcleo de Braga elege como prioritário apoio a antigos militares com stress pós-traumático

Liga dos Combatentes celebrou hoje o 101.º aniversário do Armistício da Grande Guerra

Jorge Oliveira
13 Nov 2019

O presidente do Núcleo de Braga da Liga dos Combatentes realçou hoje a importância do apoio aos antigos militares que sofrem de stress pós-traumático, afirmando que esse «é o trabalho mais importante que a Liga tem atualmente entre mãos».

Em declarações aos jornalistas à margem da cerimónia comemorativa do 101.º Aniversário do Armistício da Grande Guerra (1914-18), o coronel João Paulo Vareta deu conta da dificuldade em sinalizar estes casos, já que os pacientes por vezes não sabem que sofrem desta doença ou não a querem comunicar.

«Infelizmente, a esmagadora maioria [dos antigos militares] tem sinais de stress pós-traumático. Uns, às vezes, entram em crises agudas e as famílias começam a ficar muito preocupadas e procuram apoio», disse.

Além da resposta do Serviço Nacional de Saúde, a Liga dos Combatentes têm vários núcleos espalhados pelo país com gabinetes onde os antigos militares com stress pós-traumático são seguido.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up