Fotografia: Agência ECCLESIA/MC

Há «sinais convergentes» na sociedade contra a eutanásia

Afirma o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. Manuel Clemente

Redação/Lusa
11 Nov 2019

O cardeal-patriarca de Lisboa e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) afirmou hoje que «legisladores e cidadãos em geral» devem ponderar o «atual momento sociopolítico português» na discussão da eutanásia, considerando que há «sinais convergentes» na «defesa e promoção da vida».

Na abertura da 197.ª assembleia plenária da CEP, em Fátima, D. Manuel Clemente disse que «a defesa e promoção da vida, da conceção à morte natural», merece hoje «redobrada atenção».

«Nunca é absolutamente seguro que se respeita a vontade autêntica de uma pessoa que pede a eutanásia. Nunca pode haver a garantia absoluta de que o pedido da eutanásia é verdadeiramente livre, inequívoco e irreversível», citou, a partir de nota pastoral sobre o tema.

Arcebispo de Braga fala da eutanásia em entrevista à Renascença.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up