Fotografia: Avelino Lima
Instituto Monsenhor Airosa quer criar um centro interpretativo

IMA inaugurou, esta tarde, uma exposição alusiva ao seu 150.º aniversário. O momento contou com a presença de dezenas de pessoas.

Rita Cunha
8 Nov 2019

A criação de um centro interpretativo que permita preservar e dar a conhecer à população o património industrial «único» de que a instituição dispõe, parte dele com muitos anos de existência, é o grande objetivo da direção do Instituto Monsenhor Airosa, motivo pelo qual integra o plano de investimentos.

A informação foi avançada por Luíz Gonzaga Dinis, presidente da direção do IMA, hoje, à margem da inauguração da exposição comemorativa dos 150 anos da instituição, a qual ficará patente até ao dia 7 de dezembro.

«Temos um plano de investimentos grande que é audaz, mas vamos ver se conseguimos realizá-lo com a alienação de alguns bens. Vamos precisar da colaboração de muita gente», disse, mostrando-se, contudo, com esperança na sua concretização.

A par deste núcleo interpretativo, o IMA pretende ainda renovar a entrada conventual, entre outras áreas do edifício da instituição.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up