Fotografia: Nuno Cerqueira
Presidente da Câmara de Barcelos colocado em liberdade

Processo Teia.

Redação / NC
9 Out 2019

O presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, que estava em prisão domiciliária no âmbito da Operação Teia, foi hoje “colocado em liberdade”, disse um dos advogados do autarca.

Segundo Nuno Cerejeira Namora, funcionários judiciais foram hoje à tarde à casa de Costa Gomes e “retiraram-lhe a pulseira eletrónica”.

Miguel Costa Gomes estava em prisão domiciliária desde 03 de junho, indiciado dos crimes de corrupção passiva e de prevaricação, no âmbito da operação Teia.

Em setembro, um juiz de instrução criminal decidiu manter estas medidas de coação.

No entanto, a defesa de Costa Gomes tinha interposto recurso para o Tribunal da Relação do Porto, que hoje o “restituiu à liberdade”.

Na operação Teia, e além de Costa Gomes, são ainda arguidos o entretanto demissionário presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, e a mulher, a empresária Manuela Couto.

O outro arguido é o ex-presidente do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto Laranja Pontes, que entretanto se reformou.

O processo está relacionado com alegados favorecimentos às empresas de Manuela Couto por parte do município de Barcelos e do IPO/Porto, a troco de favores políticos conseguidos por Joaquim Couto.

 





Notícias relacionadas


Scroll Up