Espaço do Diário do Minho

PSD2, um novo partido político?
21 Set 2019
Fernando Viana

Não! São apenas as novas regras sobre serviços de pagamentos.

A entrada em vigor em Portugal, no passado dia 14 de setembro de uma diretiva europeia sobre serviços de pagamentos (conhecida por PSD2, na sigla em inglês) traz consigo algumas mudanças. Objetivo? Reforçar a segurança dos utilizadores.

A partir de agora, os bancos e demais prestadores de serviços de pagamento em toda a União Europeia estão obrigados a proceder à chamada “autenticação forte” dos seus clientes quando estes acedam online à sua conta. Esta “autenticação forte” pretende que os clientes possam movimentar o seu dinheiro com segurança acrescida, evitando assim as situações de fraude.

Mas afinal o que é a “autenticação forte”, e que mudanças implica?

A “autenticação forte” é um procedimento realizado pelos bancos/prestadores de serviços de pagamento com o objetivo de validar a sua identificação e a legitimidade da sua utilização no serviço de pagamento. Significa isto que a partir de agora por exemplo as típicas cadernetas vão deixar de poder ser usadas para levantar dinheiro.

Segunda as novas regras de autenticação, há três tipos de elementos de segurança:

  • de conhecimento (que pode ser uma palavra-passe, um PIN ou também o caminho que desbloqueia o telemóvel);

  • de posse (cartão físico – como o cartão que está nos telemóveis –, ou as mensagens escritas que são enviadas para o telemóvel);

  • de inerência (impressão digital, reconhecimento de voz e reconhecimento faciall).

A utilização desta “autenticação forte” não é nova, portanto é bem capaz que já lhe tenha sido solicitado, por exemplo quando acede à appdo seu banco através do telemóvel. Além de ser solicitada no acesso à conta através de homebanking ou app, a “autenticação forte” poderá ainda ser exigida aos clientes, por exemplo, nas seguintes operações:

– Para fazer compras e pagamentos online com cartão;

– Para iniciar transferências;

– Para efetuar pagamentos de serviços;

– Para consultar online os movimentos da sua conta;

– Para consultar e alterar online outra informação (por exemplo, dados de operações recorrentes ou listas de beneficiários preferenciais).

Antes de realizar estas operações de pagamentos informe-se junto do seu banco/prestador de serviços de pagamentos, quais os métodos adotados para poder continuar a fazer as suas operações em segurança.



Mais de Fernando Viana

Fernando Viana - 23 Mai 2020

O consumidor europeu (dentro da União Europeia) encontra-se hoje bastante protegido, seja em direitos, seja em meios para exercer os seus direitos. O consumidor português está nesta matéria bastante bem protegido, já que Portugal é um dos países mais avançados no âmbito da proteção do consumidor. Aproveitemos um exemplo típico: António, consumidor compra um computador […]

Fernando Viana - 16 Mai 2020

A morte brutal da pequena Valentina, de 9 anos, às mãos de quem a devia cuidar e proteger, ocorrida há cerca de uma semana em Atouguia da Baleia, Peniche, chocou-me, chocou-nos a todos porventura mais, do que as provocadas pelo vírus insidioso do coronavírus. De facto, o vírus, que não creio ser inteligente, ao contrário […]

Fernando Viana - 9 Mai 2020

O nosso país constitui um (excelente) exemplo, referido internacionalmente, no que toca à proteção do consumidor. O legislador tem sido bastante generoso no que diz respeito à atribuição de direitos ao consumidor, bem como de meios efetivos para o proteger. Porém, por vezes, são feitas leis que, por falta de ponderação e reflexão, ou pela […]


Scroll Up