Espaço do Diário do Minho

Futebol a sério – canal 11
20 Set 2019
Carlos Mangas

Recentemente a Federação Portuguesa de Futebol criou um canal próprio – o 11. Para além da oportunidade que nos dá de assistir a jogos que de outra forma não veríamos, por não terem valor comercial, somos brindados com programas em que se fala, verdadeiramente, de futebol. De entre estes, o que me enche as medidas é transmitido às 5ªs feiras à noite – Futebol a sério – com o Professor Jesualdo e a Sofia Oliveira. Até o título é bem conseguido, pois, no programa fala-se mesmo de futebol e o professor, como é seu hábito, raramente se ri, embora a Sofia Oliveira, às vezes, poucas, consiga o milagre. Ou seja, temos o sério em duplo sentido.

Quando da apresentação do que viria a ser o formato/conteúdos do programa, o professor afirma que se irá “sujeitar a exames semanais e abordar o futebol sob um ponto de vista cognitivo”. Apetece-me dizer, cá se fazem, cá se pagam. No início deste século, quando da sua 1ª passagem pelo SCB, também o professor sujeitou jovens treinadores de escalões de formação a exames semanais, em que (n)os obrigava a puxar pelo…cognitivo. À época, enquanto responsável pelo sub 17, tive o grato prazer de conviver e aprender semanalmente com o professor e sua equipa técnica que, integrava também o Rui Águas, o João Cardoso e o Vital.

Eram reuniões semanais e extremamente produtivas em que o professor ouvia e questionava. Tinha o “desplante” de solicitar ideias de exercícios tipo (como se não soubesse) para aplicar em treino, por forma a resolver determinadas situações que o jogo nos colocava; falava sobre o jogo que iriam ter no fim de semana e questionava como o abordaríamos, no seu lugar; colocou elementos da sua equipa técnica em situações pontuais a apoiar treino individualizado na formação (relembro Rui Águas a dar dicas de movimentação ao Cícero); solicitava relatórios pormenorizados de atletas a quem reconhecêssemos elevado potencial;

Integrou dois atletas sub 17, Bruno Gama – como titular – e João Pedro, na equipa que inaugurou o novo Municipal; colocou treinadores da formação a fazer observação e relatórios de jogo, de futuros adversários da equipa sénior e/ou de jogadores que pudessem interessar ao clube. Um dos que me tocou, foi ir a Guimarães observar o VSC e em simultâneo fazer relatório de dois jogadores do Rio Ave (Vandinho e Jaime). Senti-me a voltar à faculdade…em exame.

Em muitos anos de ligação ao futebol de formação do SCB, Jesualdo Ferreira foi o ÚNICO treinador que vi construir uma verdadeira ponte entre a equipa sénior e o futebol de formação, pelo que, um dia escrevi e hoje reafirmo não cometer nenhuma heresia se disser que nos aspetos organizacionais, tático-técnicos e linguísticos, o treinador com maior cota de responsabilidade na rota de sucesso do Sporting de Braga do século XXI, foi o professor Jesualdo Ferreira.

Por isso, cabe-me dar os parabéns à F.P.F e a quem idealizou o programa, ao terem a lucidez de aproveitar quem demonstra semanalmente ter tanto para nos ensinar, ainda.



Mais de Carlos Mangas

Carlos Mangas - 15 Mai 2020

Algum do tempo disponível extra-aulas, ocupo-o na Netflix com histórias de vida de desportistas e/ou clubes de referência para assim “mitigar” saudades do desporto de alto rendimento. O documentário The Last Dance que nos fala da vida “e obra” de Michael Jordan na NBA e uma entrevista de Robin van Persie (recebida via redes sociais) […]

Carlos Mangas - 1 Mai 2020

Enquanto estudante, entre muitas aprendizagens, uma ficou para a vida desportiva, da docência e não só – a importância de nos concentrarmos no essencial. E, nestes tempos de confinamento, isso cinge-se a: reduzir contactos sociais, higienizar constantemente as mãos, uso de máscaras certificadas, evitar deslocações. Devemos ainda ter especial atenção aos grupos de risco, entre […]

Carlos Mangas - 17 Abr 2020

A terminar a 5.ª semana de confinamento criaram-se novas rotinas/preocupações, e percebemos que gerir 24 horas por dia, em casa, não é tarefa tão simples como parecia. Num ápice, do não termos tempo para nada – e sentir a vida passar a correr – passamos a ter tempo para tudo e a ver a vida […]


Scroll Up