Espaço do Diário do Minho

O «sonho de Deus»!
10 Set 2019
João António Pinheiro Teixeira

  1. Não foi só Martin Luther King que teve um sonho. Deus também tem um sonho para a humanidade. Carlo Maria Martini descreve «o sonho de Deus»: «o sonho de um outro mundo, de um outro modo de ser no mundo».

  2. E este sonho começa logo no momento inicial, na criação. Como percebeu o notável exegeta – e Arcebispo de Milão – , criar «não significa apenas que Deus faz existir algo, mas que Ele vence o caos e quer a ordem, a justiça, a harmonia e a paz».

  3. Deus «quer um mundo habitável, onde seja bom viver, um mundo onde se possa dizer – como Pedro – “Senhor, como é bom estarmos aqui” (Mt 17, 4)». O que falta, então? Falta que à operação de Deus corresponda a cooperação do homem.

  4. Deus entregou a Sua obra – a terra – ao homem (cf. Gén 1, 28). E nós «destruímos a natureza sem pensar que Deus quer que este mundo possa ser habitado – e ainda por muito tempo – com a possibilidade de vivermos e de respirarmos, de desfrutarmos da beleza da natureza».

  5. Deus também sonha com um mundo «em que não haja alguns prepotentes a arrasar os outros». E que a Igreja «seja um lugar onde se viva bastante bem, onde não existam suspeitas, temores ou denúncias falsas».

  6. É certo que este sonho divino «se realizará no reino perfeito, com o regresso de Cristo». Mas sabemos também «que, desde já, nos é pedido que não o percamos de vista e, se possível, o antecipemos».

  7. É neste sentido que, entre os «verbos de Deus», Carlo Maria Martini insere os verbos «libertar» e «ordenar». Parecem antagónicos. E, hoje em dia, há quem propugne uma liberdade sem ordem. Trata-se, porém, de um monstruoso equívoco que lesa – e acaba por destruir – a própria liberdade.

  8. O agir libertador de Deus está amplamente demonstrado na Escritura. Ele toma sempre partido pelos povos oprimidos e pelas pessoas humilhadas.

  9. Israel, após a libertação do Egipto, promete «fazer tudo o que o Senhor mandar» (Ex 19, 8). É que os Mandamentos são instauradores da liberdade que respeita, da liberdade que pensa nos outros, que não se fecha em si mesmo.

  10. Os Mandamentos de Deus «têm em mente o bem do povo e, por isso, promovem a justiça e a equidade». Basta olhar para o Mandamento do Sábado (ou do Domingo para os cristãos). É um mandamento de repouso, «em contraste com civilizações orientadas apenas para a produção e exploração». Vamos continuar a adiar o «sonho de Deus»?



Mais de João António Pinheiro Teixeira

João António Pinheiro Teixeira - 15 Out 2019

Ser cristão é estar sempre em missão. Em todo o tempo e em toda a parte, é para a missão que tem de estar (sempre) voltada a nossa acção. Esta é a maior urgência. Só que, muitas vezes, parecemos «cristãos em sonolência». Andamos muito acomodados, em estado de letargia. E nem sequer reparamos que, em […]

João António Pinheiro Teixeira - 8 Out 2019

É óbvio que as férias fazem bem. Mas, pela amostra, as férias deste ano deixaram muita gente com um ar não muito bom. Parece que as pessoas regressaram indispostas, insatisfeitas, com tendência para um discurso sombrio e o rosto fechado. Tem sido mesmo frequente – neste período pós-estival – deparar com pessoas agressivas, pouco polidas, […]

João António Pinheiro Teixeira - 1 Out 2019

Quando Jesus nos manda em missão, diz-nos para «anunciar o Evangelho a toda a criatura» (Mc 16, 15). A ilação imediata que nos sobrevém é que temos de mobilizar os lábios. Efectivamente, o anúncio faz-se com os lábios. Mas não só. Tanto mais que o anúncio dos lábios tem de corresponder ao testemunho da vida. O anúncio […]


Scroll Up