Vídeo: Nuno Cerqueira

Dst Group é parceiro no projeto.

Nuno Cerqueira
5 Setembro 2019

 

A “Smart City” de Esposende come√ßou hoje a dar os primeiros passos. Para al√©m de abrir ao p√ļblico o Forte de S√£o Jo√£o Baptista ao fim de v√°rias d√©cadas, foi inaugurada uma instala√ß√£o art√≠stica ambiental numa duna junto ao passadi√ßo do Forte que d√° a ouvir sons do infinito “octo _ _ _ _” atrav√©s da Dst group, parceiro da autarquia para as tecnologias digitais que instalou a obra de arte.

O projeto ‚ÄúEsposende SmartCity‚ÄĚ √© composto por cinco eixos: Esposende cidade Anal√≠tica, Esposende cidade Resiliente, Esposende cidade Preditiva, Esposende cidade de Conhecimento e Educa√ß√£o e, ainda, Esposende Territ√≥rio Criativo.

O edil Benjamim Pereira explicou ao Di√°rio do Minho que o que diferencia de outras cidades inteligentes √© a arte p√ļblica.

¬ęEsposende quer diferenciar-se no contexto das Smart City com arte e escultura p√ļblica em intera√ß√£o com as novas tecnologias digitais. Queremos oferecer um produto, a quem c√° vive e visita, diferenciador em termos de momentos de arte p√ļblica¬Ľ, apontou o presidente da C√Ęmara, Benjamim Pereira.

A instala√ß√£o ambiental, uma “provoca√ß√£o” pela arte, √© designada por “Octo _ _ _ _”, da autoria de Pedro Tudela e Miguel Carvalhais, e conjuga no espa√ßo natureza, som, escultura e enquadramento paisag√≠stico entre a duna e o Forte de S√£o Jo√£o Baptista.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]

 


Outros Vídeos

Scroll Up