Fotografia: Nuno Cerqueira

Praticantes de canoagem de mar “encurralados” em linhas de pesca

Em terra pensou-se em afogamento e foi dado alerta.

Nuno Cerqueira
28 Ago 2019

Três praticantes profissionais de canoagem de mar, entre os quais um de nacionalidade alemã e outro inglês, ficaram hoje à tarde presos em linhas de pesca na foz do Cávado, no concelho de Esposende.

Apesar de terem a situação controlada, quem estava em terra pensou que se tratava de três pessoas em afogamento e foram acionados vários meios de socorro, entre os quais Bombeiros Voluntários de Esposende com duas ambulâncias, Instituto de Socorro a Náufragos (ISN) com viatura terrestre e embarcação, Polícia Marítima e INEM com a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Viana do Castelo.

«Afinal apenas se tratou de uma situação normal, pois são praticantes com experiência e sabiam o que estavam a fazer. Apenas tiveram algum trabalho porque ficaram com as embarcações presas em redes de pesca e lançaram-se ao mar, mas numa manobra controlada», referiu fonte envolvida no socorro.

Os canoístas foram ainda auxiliados por pescadores amadores, entre os quais um bombeiros fora de serviços, que estavam do lado do Ofir, em Fão, que acabaram por resgatar as canoas.

Os canoístas de mar, com 60, 55 e 25 anos de idade, recusaram apoio hospitalar e saíram do local com o apoio do ISN.

No teatro de operações estiveram 12 operacionais apoiados por seis viaturas, concentrada Marina Norte de Esposende.





Notícias relacionadas


Scroll Up