Fotografia: DM
Tadim segura Feira Franca ameaçada por rigor legislativo

Quinta Pedagógoca de Braga voltou a animar a Feira Franca de Tadim

Joaquim Martins Fernandes
25 Ago 2019

A Junta de Freguesia de Tadim está apostada em assegurar a realização da Feira Franca local, que se encontra ameaçada pelas fortes restrições que a legislação impõe à participação do gado bovino.
A escassez cada vez mais notória de criadores locais é uma outra dificuldade e que está a levar a autarquia para a abertura da feira a outro tipo de animais domésticos. Os cavalos já mais que duplicam o número de bovinos e os cães e os gatos também marcam presença na feira, que tem na cerimónia da bênção dos animais um dos pontos altos.
Falando esta manhã aos jornalistas, na abertura da edição de 2019 da feira, o secretário da Junta de Freguesia de Tadim, José Vilaça, assumiu que a Feira Franca tinha um afluência «semelhante» à dos anos mais recentes. «A presença de gado bovinho está fraca. Antigamente tínhamos produtores que conseguiam facilmente colocar aqui os animais. Agora, para ir a concurso, há certas normas legais que é necessário cumprir, nomeadamente a realização de análises ao sangue. São imposições que têm custos elevados e muita gente deixou de vir», disse.
[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up