Fotografia: Avelino Lima
Milhares de fiéis juntaram-se num mar de tradição e fé em S. Bartolomeu do Mar

Famílias rumaram à freguesia de Mar para cumprirem a tradição.

Rita Cunha
24 Ago 2019

As festas em honra de S. Bartolomeu do Mar viveram hoje o seu ponto alto com a tradicional romaria que, todos os anos, atrai milhares de pessoas à freguesia de Mar, em Esposende. Ontem não foi exceção, com o bom tempo a ajudar.

Logo pela manhã, o mar foi o destino para a maioria dos visitantes. Uns apenas para ver, outros para dar os tradicionais mergulhos.

Reza a lenda, com raízes seculares, que os mais novos devem mergulhar três vezes consecutivas no mar para, no chamado “banho santo”, afastarem o mal e encontrarem a cura para doenças como a epilepsia ou a gaguez.

Entretanto, junto à capela de S. Bartolomeu, cumpriu-se mais uma tradição: a de dar três voltas à igreja e passar por debaixo do andor de S. Bartolomeu com um galo preto nos braços. Enquanto uns trouxeram o animal de casa, outros optaram por alugar um por dez euros.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up