Fotografia: DM
Cristãos devem construir com alegria um mundo mais justo e mais solidário

Bispo Auxiliar de Braga, D. Nuno Almeida, afirmou na eucaristia da Grande Peregrinação ao São Bento da Porta Aberta, que o fundador dos beneditinos «mostra-nos que a vida não avança nem só com oração e nem só com trabalho».

Joaquim Martins Fernandes
13 Ago 2019

A «alegria» deve ser a marca distintiva da missão dos cristãos, na construção de uma nova sociedade assente nos pilares da «humanização», da «justiça» e da  fraternidade».

A exortação foi feita hoje pelo Bispo Auxiliar de Braga, D. Nuno Almeida, na homília da eucaristia da Grande Peregrinação Anual ao São Bento da Porta Aberta.

Falando para uma assembleia de fiéis que encheu a cripta da Basílica do santuário beneditino, o prelado bracarense mostrou aos peregrinos a razão fundamental da alegria do exercício da missão.

«É que não há nenhuma ideologia mais bela, mais construtiva e mais humanizante do que o Evangelho», disse D. Nuno Almeida, acrescentando que, «por isso, os cristãos devem afirmar-se na política, na sociedade e nas instituições com os valores» preconizados pelo Cristianismo.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up