Fotografia: Jorge Oliveira

Vizela exige intervenção do governo para acabar com descargas no rio

Câmara abandona plano de despoluição

Jorge Oliveira
2 Ago 2019

A Câmara Municipal de Vizela decidiu abandonar o Plano de Despoluição do Rio Vizela por entender que o estipulado entre as partes não está a dar os resultados.

O anuncio foi feito  hoje, em conferência de imprensa, pelo presidente da autarquia, Victor Hugo Salgado, que responsabilizou o ministro do Ambiente pelo que se está a passar no rio, que continua a receber descargas poluentes.

O Plano foi criado em maio 2017 e ficou definido que que iria ser emitido um despacho específico para o rio Vizela onde as descargas feitas pelas entidades privadas e pelas entidades públicas e semi-públicas ou com participação de capitas públicas teriam outros limites, com variações ao longo do ano.

Passou-se mais de um ano e nem despacho nem a construção de uma conduta também prometida para ligar a ETAR de Serzedo, a montante de Vizela, no concelho de Guimarães, que está identificado como um foco poluidor, a um ponto do rio com maior caudal.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up