Fotografia: Radio Valdevez

GNR investiga incêndio que destruiu fábrica com dez trabalhadores

Polícia Judiciária poderá ser chamada ao local.

Nuno Cerqueira
25 Jul 2019

O incêndio que deflagrou ontem à noite numa unidade fabril de madeiras no concelho dos Arcos de Valdevez já entrou em rescaldo, sendo que a GNR está no teatro de operações (TO) para encetar uma investigação.

A empresa, com dez trabalhadores e de cariz familiar, já recebeu a solidariedade do edil local, João Manuel Esteves, que em declarações ao Diário do Minho revelou que aquela unidade fabril estava instalada na zona industrial do Padreiro há mais de 15 anos.

O presidente da Câmara dos Arcos de Valdevez, que acompanhou os trabalhos durante a noite no TO, não deixou de enaltecer e agradecer o trabalho dos bombeiros que, e segundo João Manuel Esteves, «evitaram que as chamas alastrassem a outras unidades fabris e uma creche».

«Lamento a destruição da empresa familiar e solidarizo-me com o proprietário e os trabalhadores. A intervenção pronta, profissional e corajosa de todos os bombeiros envolvidos foi fundamental para evitar um tragédia maior. O meu agradecimento aos Bombeiros de Arcos de Valdevez, os primeiros a chegar ao local. Também ao comando distrital pela intervenção e coordenação do incêndio», referiu o autarca social-democrata

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up