Fotografia: Jorge Oliveira
Avaliação deve estimular aprendizagem e conhecimento dos estudantes

Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior em Braga

Jorge Oliveira
17 Jul 2019

O secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior considerou «muito relevante» o estudo “Avaliação no Ensino Superior: as potencialidades dos métodos alternativos”, apresentado hoje pelas coordenadoras, Assunção Flores e Clara Coutinho, do Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC) da Universidade do Minho.

No entender de João Sobrinho Teixeira, este projeto vem dar mais conhecimento sobre aquilo que é a realidade da avaliação no ensino superior em Portugal e a forma como é que essa avaliação está ou não a contribuir para o objetivo do país ter mais pessoas com conhecimento e qualificadas.

O governante, que falava aos jornalistas no final da apresentação do estudo e do livro nele baseado, notou que a avaliação no ensino «tem que existir, para dar estímulo a um crescimento maior e também dar algum estímulo ao mérito, mas tem que fazer globalmente com que haja uma relação de auto-estima dos alunos em terem a noção de que são capazes de aprenderam mais e serem estimulados a querem saber mais e a conhecerem mais».

O estudo reúne as principais conclusões do projeto de investigação que foi realizado com cinco universidades públicas portuguesas, tendo participado estudantes e docentes de todas as áreas científicas, financiado pela pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up