Fotografia: Nuno Cerqueira

Ricardo Rio sugere à plataforma “Salvar a Confiança” que concorra na hasta pública

Plataforma apresentou hoje Centro Cívico e Cultural.

Nuno Cerqueira
2 Jul 2019

O presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, referiu ao Diário do Minho que «não vê nada de novo» nas ideias apresentadas pela plataforma “Salvar a Fábrica Confiança”, que esta tarde apresentou o projeto de criação de um Centro Cívico e Cultural (CCC) na antiga saboaria bracarense.

Para o edil o projeto tornado público não acrescentada nada de novo ao que a plataforma pretende desde o início.

«É um falácia que digam que querem resolver um impasse, pois não existe nenhum impasse. Decorreram várias decisões dos tribunais, todas favoráveis à Câmara. Vamos aguardar mais algumas semanas para se perceber qual a evolução do processo de classificação e, com isso, salvaguardar o interesse público de ter o máximo de concorrentes possível a disputar a aquisição do edifício», disse o autarca.

Ricardo Rio sugere mesmo á plataforma que concorra à hasta pública.

«Com essa capacidade toda que dizem ter, então podem também concorrer à hasta público. O edifício será para vender respeitando o interesse patrimonial do espaço», frisa.

A antiga Fábrica Confiança foi fundada na cidade de Braga, em 1894, tendo funcionado até 2005 e expropriada em 2012 por 3,5 milhões de euros.

Um grupo de cidadãos entende que o espaço deve ser colocado ao usufruto dos bracarenses e lançou uma proposta de gestão do espaço esta tarde, pedindo ainda para discutir o projeto com a Câmara e que a vão levar ao Ministério da Cultura.

 

 

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up