Espaço do Diário do Minho

Cuidados a ter com reservas em serviços de hotelaria
18 Jun 2019
Ana Sofia Aguiar

Existem alguns problemas que podem surgir com as reservas em hotéis, pousadas ou residenciais.

Uma das formas de evitar transtornos durante a sua estadia é confirmar no momento da reserva quais os serviços incluídos e os respetivos preços e, se tiver dúvidas, questionar a entidade hoteleira. Deverá igualmente fazer-se acompanhar de documentação comprovativa da reserva. 

Um dos problemas mais frequentes na prestação deste tipo de serviço deve-se à atribuição de um quarto com características diferentes do quarto reservado pelo consumidor, particularmente quando a reserva é efetuada através de sítios da internet. 

Nesta situação, não havendo disponível um quarto com as mesmas características contratadas, o consumidor poderá exigir a redução do preço ou a devolução do dinheiro. No entanto, antes mesmo de o consumidor se deslocar na data reservada, o responsável do hotel deveria ter entrado em contacto com o consumidor e informá-lo do problema, propondo alternativas que não prejudicassem o consumidor nem significassem transtornos desnecessários.

Existem ainda outras situações em que as unidades hotelarias não respeitam os direitos dos consumidores. Uma prática comum passa por afixar avisos que desresponsabilizam o hotel em caso de furto. No entanto, o hotel é responsável pelos furtos que ocorram dentro dos quartos, pois recai sobre o mesmo o dever de segurança e zelo das suas instalações.

Por outro lado, se se deparar com alguma avaria nos equipamentos existentes no quarto, deverá exigir a mudança para outro quarto ou a reparação em tempo útil do referido equipamento. Se o hotel não atuar em conformidade, tente renegociar o preço pago pela estadia.

Atenção também aos preços dos serviços como refeições no quarto, bebidas do minibar e lavandaria. É obrigatório que em cada quarto e no próprio balcão da receção sejam afixados em local visível os preços destes serviços. Antes de solicitá-los, consulte o preçário. Se posteriormente lhe for cobrado um preço superior, deverá exigir a correção em função do preço indicado.

Em caso de desconformidade deverá expor o problema junto do responsável e procurar o entendimento. Se não for possível, deverá solicitar o livro de reclamações ou contactar diretamente o Turismo de Portugal ou a ASAE.

Para esta e outras questões, poderá contactar-nos presencialmente na Av. Batalhão Caçadores 9 em Viana do Castelo, através do 258 821 083 ou para deco.minho@deco.pt. 



Mais de Ana Sofia Aguiar

Ana Sofia Aguiar - 7 Out 2019

Desde 14 de setembro, os clientes com cadernetas bancárias deixaram de poder usá-las para fazer levantamentos de dinheiro. A Caixa Geral de Depósitos (CGD), o Montepio e o Crédito Agrícola irão facultar cartões de débito aos clientes. No caso da CGD, a primeira anuidade é gratuita. Fazer transferências bancárias com caderneta eletrónica também deixará de […]

Ana Sofia Aguiar - 23 Set 2019

De facto, a entrega da casa é uma forma de extinguir o crédito à habitação. Contudo, tem a condicionante de estar sujeita à aceitação do Banco que pode, sem carecer de qualquer justificação, recusar a dação do imóvel hipotecado. Em termos de procedimento, a dação será precedida de um pedido do(s) titular(es) do empréstimo dirigido […]

Ana Sofia Aguiar - 9 Set 2019

A DECO vem informar todos os consumidores sobre a nova lei que permite multar quem atirar beatas para o chão. Assim, saiba que atirar pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros contendo produtos de tabaco para o chão de espaços públicos implica o pagamento de coimas. Segundo a lei, como passam a ser equiparados a […]


Scroll Up