Fotografia: Nuno Cerqueira
Operação “Rota Final” da PJ faz buscas na Câmara de Braga e volta a Barcelos

(em atualização) Transdev também alvo de investigação.

Nuno Cerqueira
12 Jun 2019

A Polícia Judiciária do Porto está hoje a realizar buscas em 18 câmaras municipais do norte e centro do país. Em causa está um esquema fraudulento da viciação de procedimentos de contratação pública, com vista a favorecer pessoas singulares e coletivas, nomeadamente no que diz respeito ao transporte escolar.

No Minho as Câmara de Braga e Barcelos são as visadas.

Os restantes Municípios são Águeda, Almeida, Armamar, Belmonte, Cinfães, Fundão, Guarda, Lamego, Moimenta da Beira, Oleiros, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Sertã, Soure, Pinhel e Tarouca.

Como o nome de “Rota Final”, a operação contabiliza 50 as buscas, envolvendo 200 elementos da Polícia Judiciária – inspetores, peritos informáticos, peritos financeiros e contabilísticos.

Para além da suspeita de favorecimento no recrutamento de funcionários, a investigação recai também sobre os transportes, onde a Transdev é uma das visada por alegado favorecimento.

«Mediante atuação concertada de quadros dirigentes de empresa de transporte público, de grande implementação em território nacional com intervenção de ex-autarcas a título de consultores, beneficiando dos conhecimentos destes, terão sido influenciadas decisões a nível autárquico com favorecimento na celebração de contratos públicos de prestação de serviços de transporte, excluindo-se das regras de concorrência, atribuição de compensação financeira indevida e prejuízo para o erário público», lê-se em comunicado da PJ enviado ao Diário do Minho.

A investigação prossegue «para determinação de todas as condutas criminosas, seu alcance e respetivos agentes”, esclarece a polícia.





Notícias relacionadas


Scroll Up