Vídeo: Nuno Cerqueira

Este sábado, 8 de junho, em Barcelos no Teatro Gil Vicente.

Nuno Cerqueira
7 Junho 2019

É a tal cena de Barcelos. O serviço educativo do Triciclo realizou uma “open call” e foi apenas esperar uns dias, pegar numas tralhas lá de casa e realizar cerca de 10 horas de ensaios. Está montado o “Rhythmen” com espetáculo marcado para este sábado, 8 de junho.

O Diário do Minho foi ao encontro dos dançarinos e músicos, perceber como estão os ritmos que vão, de certeza, surpreender no regresso “triciclo”

Coordenado pelo músico barcelense Pedro Oliveira (Dear Telephone, peixe:avião e Krake), “Rhythmen” insere-se no programa de serviço educativo do triciclo, tem uma forte componente rítmica e vai juntar comunidade musical com a da dança. A entrada é livre.

«“Rhythmen” é baseado na exploração sonora e na manipulação de sons que nos transmitem cadências comuns do dia à dia, com sons maquinais, biológicos, subaquáticos, cerebrais e contemplativos», refere o direto artístico, Pedro Oliveira.

“Rhythmen” surge após o sucesso das ações de serviço educativo do triciclo realizadas até ao momento, como foram os espetáculos “Vou-te contar uma história sobre Barcelos” e “Identidade”.

Após este espetáculo, o ciclo de concertos triciclo chega ao fim. O terceiro trimestre encerra com Sensible Soccers e Otrotorto, no Círculo Católico dos Operários de Barcelos (CCOB), a 29 de junho. Os bilhetes podem ser adquiridos nos locais habituais.

O “triciclo” é um ciclo “made in” Barcelos e é feito em parceria com o Município de Barcelos.


Outros Vídeos

Scroll Up