Fotografia:

Funcionário da Câmara dos Arcos morre afogado durante serviço de limpeza

O alerta foi dado cerca das 09h57.

Nuno Cerqueira
5 Jun 2019

«Não estava equipado com colete salva-vidas», disse o comandante dos Bombeiros Voluntários dos Arcos de Valdevez, Filipe Guimarães, a propósito do trágico desfecho de uma ação de limpeza no rio Vez por parte de um funcionário da Câmara dos Arcos de Valdevez, que acabou por morrer afogado.

A vítima, com 57 anos de idade, não sabia nadar e estava ao serviço da brigada de cantoneiros da Câmara Municipal.

«Procedia à limpeza de uma pesqueira situada na praia fluvial da Valeta», referiu o comandante, acrescentando ainda que o funcionário em causa também «não usava linha de vida», um equipamento de segurança utilzado neste tipo de trabalho.

«As calças com linha refletora e botas eram as peças do fardamento que usava», disse Filipe Guimarães.

Os colegas da vítima, que se aperceberam no imediato do incidente, ainda se atiraram à água para o tentar salvar, mas não o conseguiram detetar porque, naquele local, as águas do Vez apresentam-se turvas devido aos trabalhos de limpeza.

O alerta foi dado cerca das 09h57 e mobilizou vários meios dos Bombeiros Voluntários do Arcos de Valdevez, assim como o apoio diferenciado da SIV do INEM e meios da proteção civil da Câmara.

O edil local, em declarações ao Diário do Minho, lamentou o incidente.

«Lamentamos profundamente esta morte e já apresentamos as devidas condolências à família. Estamos a prestar todo apoio à família, nomeadamente mulher e filho, onde temos uma equipa de psicólogos acompanhar neste momento», começou por referiu o presidente da Câmara.

João Manuel Esteves acrescenta ainda que vai decorrer um processo de averiguações interno para apurar o que aconteceu.

«Estamos também coordenados com a ACT para apurar o que se passou», vaticinou.

A GNR tomou conta da ocorrência.

 





Notícias relacionadas


Scroll Up