Fotografia: Ana Marques Pinheiro
Finalistas desafiados a combater a indiferença do mundo atual

Mais de mil estudantes de diversos cursos da UMinho e Universidade Católica marcaram presença na cerimónia.

Ana Marques Pinheiro
11 Mai 2019

O Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga apelou ontem, na benção de finalistas que decorreu na Avenida Central, para que os jovens sejam protagonistas do bem comum, criando a responsabilidade de construir um mundo novo.

O prelado afirmou que a sociedade necessita de bons profissionais e que não basta «trabalhar por trabalhar».

Citando o Papa Francisco, o Arcebispo recordou que um dos grandes problemas da atualidade é a indiferença.

«Nunca nos poderemos resignar à postura de espectador, abstendo-nos da construção da História. Quer queiramos quer não, estamos num momento decisivo da história da Europa. Deveríamos ter projetos reais com impacto na vida das pessoas e não só currículos que nada trazem de útil à sociedade. Nunca nos poderemos resignar à postura de espectador, abstendo-nos da construção da História. Quer queiramos quer não, estamos num momento decisivo da história da Europa. Deveríamos ter projetos reais com impacto na vida das pessoas e não só currículos que nada trazem de útil à sociedade», disse o prelado.
[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]




Notícias relacionadas


Scroll Up