Espaço do Diário do Minho

Alimentação no controlo da Hipertensão

3 Mai 2019
Alice Alves

Maio chegou e trouxe com ele o mês do coração! Nesta altura, nunca é demais reforçar e refletir sobre os cuidados alimentares na prevenção e/ou tratamento da doença cardiovascular. 

A hipertensão, fator de risco importante na etiologia da doença cardiovascular, é a principal causa de morte prematura em todo o mundo. 

Segundo um estudo realizado em 2015 pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, com base em dados do primeiro Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico (INSEF), 36% da população portuguesa, com idades compreendidas entre os 25 e os 74 anos, apresenta hipertensão arterial. O mesmo estudo indica uma prevalência de hipertensão estimada mais elevada no grupo etário mais velho (71,3%) e no sexo masculino (39,6%).

A tensão arterial caracteriza-se pela pressão que o sangue exerce sobre a parede dos vasos sanguíneos por onde circula, mede-se em milímetros de mercúrio (mmHg) e é quantificada através de dois valores: 

1. O primeiro e mais elevado – pressão arterial sistólica – corresponde à pressão que o sangue exerce nas paredes das artérias quando o coração o bombeia (até 120mmHg) – também chamada de “máxima”. 

2. O segundo valor – pressão arterial diastólica — indica-nos a pressão que o sangue exerce nas artérias, quando o coração está relaxado (até 80mmHg) – conhecida também como “mínima”.

A pressão arterial alta ou hipertensão ocorre quando a pressão exercida pelo sangue nas paredes dos vasos é excedida, passando os valores da tensão arterial a serem iguais ou superiores a 130/80 mmHg. 

A hipertensão arterial normalmente não apresenta sinais nem sintomas, podendo estar associada a fatores de risco controláveis e não controláveis como os hábitos alcoólicos e tabágicos, o excesso de peso/obesidade, uma dieta desequilibrada aliada ao sedentarismo, a hereditariedade, a idade, o sexo, fatores socioeconómicos e psicossociais e doenças crónicas. 

O não tratamento desta patologia pode trazer consequências graves para a saúde. As doenças cardiovasculares são uma importante causa de morte e incapacidade a nível mundial, sendo que a hipertensão arterial contribui para 45% do total de mortes por doenças cardíacas e até 51% das mortes por acidente vascular cerebral.

Assim, para manter uma tensão arterial normal de forma a prevenir doenças cardiovasculares devemos ter em conta recomendações para um estilo de vida saudável, nomeadamente: 

– Não fumar e evitar ser fumador passivo; 

– Atingir e manter um peso saudável;

– Optar por uma alimentação saudável, com baixo teor de gorduras e alimentos processados e rica em frutas, vegetais, cereais integrais e lacticínios; 

– Reduzir o sal da alimentação e substitui-lo por ervas aromáticas e especiarias: a redução de sal na alimentação constitui uma das estratégias mais eficientes para a diminuição da mortalidade por doenças do aparelho circulatório. A Organização Mundial da Saúde recomenda um nível de consumo individual diário inferior a 5 gramas; 

– Evitar ou limitar o consumo de bebidas alcoólicas; 

– Tornar-se mais ativo, fazendo exercício físico regular;

– Procurar evitar viver em constante stress e ansiedade;

– Controlar a tensão arterial regularmente.



Mais de Alice Alves


Scroll Up