Fotografia: Nuno Cerqueira
“Inteligência” dos contentores de lixo em Braga pode chegar aos tribunais

Uns contentores são “inteligentes” outros de “plástico”.

Nuno Cerqueira
24 Abr 2019

A União de Freguesias (UF) de Semelhe, Dume e Real pondera interpor «uma ação popular no tribunal» devido a alegada discriminação de «tipologia» de contentores que servem de recolha de lixo naquelas freguesias.

Francisco Silva, autarca daquela UF, propôs hoje em Assembleia Municipal (AM) de Braga um «um voto de repúdio» face ao facto das freguesias que compõem a UF serem servidas por contentores de plástico, face aos “modernos” contentores colocados noutros locais urbanos da cidade colocados pela AGERE e apelidados como “inteligentes”.

A proposta foi chumbada e Francisco Silva anunciou na AM que pondera levar o caso a tribunal através de uma ação popular face à atitude «discriminatória».

O deputado do PSD João Granja lamentou o caso, considerando mesmo a proposta levada à AM de estar «politicamente instrumentalizada», sublinhando que «não vamos regressar ao tempo onde haviam sacos à porta de casa com lixo espalhados pela cidade».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up