Vídeo: Nuno Cerqueira

Aprender sobre Braga e a jogar o futuro da cidade.

Nuno Cerqueira
15 Abril 2019

 

«É o jogo mais fixe sobre a cidade de Braga». É desta forma que se apresenta o Bragapólio, um Monopólio à moda de Braga com toque Trivial.

O jogo, como diz Ana Farinha, a criadora, transporta o “gamer” do mundo real «para um universo paralelo, onde deixamos a nossa profissão e vida pessoal de lado para assumir os mais diversos papéis».

«Podemos ser o sobrevivente Romano Augusto, O milagreiro S. Geraldo, o negociador D. João Peculiar, um Bracaro Guerreiro, uma sonhadora Universitária, a protetora N. Sª do Leite ou simplesmente uma encantadora Minhota», afirma.

O Bragapólio mistura o Monopólio com o Trivial e permite conhecer «de forma lúdica e cultural tudo sobre a cidade de Braga».

«Permitira também, explorar conceitos como a poupança, investimento, venda, promoção financeira e imobiliária acerca de Braga», lê-se no sítio de internet do Bragapólio.

 

Este é um jogo e uma forma «divertida» de conhecer  «a cultura, povo e tradições bracarenses», mas onde o futuro também é jogado «no mercado imobiliário e a agir face as oportunidades, a diminuir os custos, a usar o lucro para o investimento e desenvolvimento, a aumentar e a acreditar no seu poder de decisão».

Ana Farinha explica que tudo surgiu com a filha.

«Ela era pequenina e tímida. Tinha que apresentar um trabalho sobre o 25 de abril. Então surgiu a ideia de o apresentar em forma de jogo. Aquilo foi um sucesso e todos perceberam a matéria», referiu ao Diário do Minho, Ana Farinha.

O jogo vai ainda vai ser apresentado, mas já anda por aí em livrarias ou no Posto de Turismo. Custa 25 euros.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]


Outros Vídeos

Scroll Up