Fotografia: Avelino Lima
Centenário renova espírito de missão do Diário do Minho

Comemoração ficou marcada pela atribuição do Prémio de Jornalismo D. Manuel Falcão

Joaquim Martins Fernandes
15 Abr 2019

Espírito de missão, dedicação ao bem comum e instrumento da Igreja que dá voz aos sem voz. Foi a ideia fundamental que hoje marcou as intervenções do Arcebispo Primaz, do presidente do Conselho de Administração e do diretor do Diário do Minho, proferidas na cerimónia comemorativa do centenário do Diário do Minho.

Perante uma plateia de centenas de pessoas, D. Jorge Ortiga deixou claro que o jornal fundado em 1919 tem como desafio maior gerar «compromissos de esperança», na fidelidade à «matriz cristã» que norteou a criação do DM e que constitui a base da linha da sua linha editorial.

No mesmo sentido do Arcebispo de Primaz foi o presidente do Conselho de Administração do DM. Para o Padre Paulo Terroso, «o projeto editorial do Diário do Minho é fundamental para uma leitura qualificada da realidade em chave cristã», o que implica «rejeitar interesses particulares e totalitários» e «defender a vida, sendo voz dos sem voz».

Numa cerimónia que evocou todos os que contribuíram para que Diário do Minho se tivesse tornado no jornal que é hoje, também o diretor Damião Pereira assumiu o jornal como um projeto de futuro. «Não queremos ir depressa. Mas queremos ir longe», afirmou.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]




Notícias relacionadas


Scroll Up