Fotografia: Alexandre Gonzaga

Justiça e Família marcam sermões da Procissão dos Passos em Figueiredo

Cortejo litúrgico contou com dezenas de figurados que encenaram a Paixão de Jesus e o Seu percurso até ao calvário

Alexandre Gonzaga
31 Mar 2019

Os sermões proferidos antes e durante a Procissão do Senhor dos Passos, em Figueiredo, ficaram marcados pelas temáticas da Justiça e da Família.

Com questionamentos «à maneira de sentenciar e à forma de aplicar a justiça», o padre José da Costa Araújo abordou, na igreja paroquial, o ambiente judicial no nosso país.

Antes do cortejo litúrgico e durante o sermão da Paixão do Senhor, o sacerdote aludiu ao julgamento civil de Jesus Cristo por Pôncio Pilatos para evidenciar algumas das fragilidades da justiça portuguesa, marcada nos últimos tempos por decisões polémicas que encheram as páginas dos jornais e têm suscitado discussão acesa nas redes sociais.

Já no Sermão do Encontro dos andores do Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores, o clérigo reportou-se à constutição de uma família e educação doméstica como «responsabilidades enormes».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up