Fotografia: DM
Festival Internacional de Música Religiosa com dez concertos em Guimarães

É um festival que decorre, marcadamente, sob o signo da Quaresma e da Semana Santa.

Redação / NC
28 Mar 2019

A 4.ª edição do Festival Internacional de Música Religiosa de Guimarães, que vai decorrer de 13 a 20 de abril, contempla dez concertos, quase todos marcados para algumas das mais emblemáticas igrejas da cidade, anunciou hoje a organização.

A diretora artística do festival, Elisabete Matos, disse que esta edição do certame contempla uma “importante vertente formativa”, estende-se a algumas freguesias fora da malha urbana e reforça a aposta na internacionalização.

“É um festival que decorre, marcadamente, sob o signo da Quaresma e da Semana Santa”, referiu.

Assim, na vertente formativa, o festival junta três grupos corais de Guimarães que estão há dois meses a receber, uma vez por semana, “aulas” do maestro Gonçalo Lourenço.

A Orquestra de Guimarães, a Orquestra do Norte e o Quarteto de Cordas de Guimarães são outros dos participantes.

Entretanto, este ano, o festival não se fica pelo centro de Guimarães, mas estende-se também às freguesias da Penha e das Caldas das Taipas.

Em termos internacionais, participarão uma solista francesa e uma italiana, um tenor grego e coros de Cuenca e da Galiza, ambos de Espanha.

Outro destaque vai para a presença do maestro Henri Seroka, compositor da Obra “Credo”, que fará a sua estreia nacional neste festival.

Os concertos terão lugar nas igrejas de Nossa Senhora da Conceição, das Dominicas, Senhora da Oliveira, S. Pedro, Penha e S. Francisco.

O Paço dos Duques, o Centro Cultural Vila Flor e o Centro Pastoral das Taipas serão os outros palcos.

As entradas são livres para todos os concertos.

“Foram escolhidos os edifícios mais emblemáticos do ponto de vista histórico e patrimonial, porque outro dos objetivos do festival é mostrar e divulgar estes espaços”, disse ainda Elisabete Matos.

Do programa, consta ainda um colóquio sobre Arte Sacra, com o bispo Carlos Azevedo, delegado do Conselho Pontifício da Cultura no Vaticano.





Notícias relacionadas


Scroll Up