Fotografia: Avelino Lima

Fernando Aldeia lança “Contos à Lareira” em homenagem à sua terra natal

A apresentação decorre hoje, dia 22 de março, às 21h30, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva.

Rita Cunha
22 Mar 2019

Contos à Lareira” é o título da 10.ª obra de Fernando Aldeia, pseudónimo de Fernando Augusto Ferreirinha Antunes, a qual será apresentada hoje à noite, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva. «Era o dia de aniversário da minha mãe, pela qual tenho um amor eterno», disse o autor, emocionado.

A obra é composta por oito histórias, começando por “Santa Eufémia” e terminando com “O bondoso padre Custódio de Jesus”. Pelo meio, encontramos “O Trovoadas”, “A Casa d’Além” e “O sequestro”, entre outras narrativas curtas.

Segundo explicou o autor transmontano ao Diário do Minho, trata-se de uma compilação de histórias que lhe foram contadas e às quais juntou alguns “ingredientes”, tornando-as mais cativantes. «Está aqui muito daquilo que me contaram mas num pequeno núcleo de histórias. Ficcionei um pouco para estender o conto, criei caminhos aos personagens», explicou.

O título da obra remete para o aconchego que marcou a infância de Ferreirinha Antunes em Vinhais, de onde é natural. Memórias que quer perpetuar no tempo, até porque fazem parte dos costumes.

No fundo, trata-se de um convite ao passado, ao reavivar de imagens, sons e cheiros únicos. Um convite especialmente dirigido aos transmontanos, mas não só.

«A lareira é aquele local onde nos encontrávamos à noite, era onde a oralidade acontecia e as pessoas contavam histórias umas às outras. O pote, a lareira, aquelas sopas maravilhosas que a avó fazia. Tudo isto está a desaparecer na vila com o aparecimento dos aparelhos elétricos e eu não queria deixar morrer tudo isto», vincou.

A própria capa da obra, uma ilustração da autoria de Adiasmachado, remete para todo este cenário, numa ilustração onde não falta uma lareira, os potes de sopa e, em seu redor, várias pessoas que conversam entre si. Em cima, os enchidos estão pendurados e, no chão, está deitado um gato.

À semelhança de todas as outras obras lançadas pelo autor, e que vão desde a poesia às crónicas, “Contos à Lareira” tem um caráter solidário já que, atingido o montante que o escritor investiu na sua produção (600 euros), todo o lucro reverterá para uma instituição solidária. Depois de outras, como a CERCI Braga, o Centro D. João Novais e Sousa e a APPACDM, desta vez a contemplada será a associação Vinhais Solidária, que apoia pessoas com necessidades especiais. O custo do livro é de dez euros.

A sessão começa com uma introdução pela diretora daquele espaço, Aida Alves, e inclui um momento lúdico, com a atuação de António Castanheiro, conterrâneo do escritor, o qual interpretará duas músicas que a mãe lhe ensinou ainda em criança. Haverá ainda a leitura, por Armindo Cerqueira, do poema “Mãe”, da autoria de Ferreirinha Antunes, publicado na sua última obra. Camilo Silva também fará algumas leituras. 

Depois deste momento, segue-se a apresentação do livro pelo escritor e linguista José Moreira da Silva.

A 20 de maio, a obra é apresentada no Centro Cultural de Vinhais, no dia do município.





Notícias relacionadas


Scroll Up