Fotografia: Avelino Lima
«Acho que transmito fé às pessoas que me veem»

Testemunhos

Maria Vasconcelos
21 Mar 2019

Prometi a Deus que, enquanto eu pudesse caminhar, cada ano que ele me desse caminharia nas minhas promessas», referiu ao Diário do Minho Maria Vasconcelos que, há 17 anos, integra diversas procissões da Semana Santa de Braga, numa demonstração de fé inabalável.

Foi o cancro detetado em 2002 que a fez tomar a decisão de participar, e assim será enquanto tiver forças para tal. Este ano, irá encarnar o papel de Verónica na Procissão do Senhor dos Passos.

Ao seu lado, irá a sua neta, vestida de Nossa Senhora das Dores. Maria Vasconcelos vai ainda participar nas procissões da Senhora da Burrinha, Ecce Homo e na do Enterro do Senhor, nestas enquanto Nossa Senhora das Dores, na qual tem encontrado conforto e apoio. 

Noutros anos deu corpo a outros figurados. «Já representei Jesus a caminho do Calvário; já fui com a Cruz às costas no Senhor dos Passos; e de Maria Madalena», referiu. A sua “estreia” foi logo no primeiro ano em que lhe foi diagnosticada a doença. «Fui descalça e sem cabelo», disse.

Depois de ter enfrentado várias quimioterapias e radioterapias e de uma mastectomia total, naquilo que considera «uma verdadeira luta», Maria Vasconcelos deposita na fé todas as suas forças e acredita que o segredo é mesmo esse, não descurando, claro, o papel dos médicos que a acompanham. 

«São 17 anos de penitência na Semana Santa com muito fervor porque Deus move montanhas desde que tenhamos fé n’Ele. Temos de Lhe pedir com muita força e ser persistentes. Ele ouve-nos. Só com a mão Dele era possível eu vencer estes cancros malignos», considerou.

Para Maria Vasconcelos, participar nestes momentos constitui «um orgulho» e uma «sensação de alegria de viver». «Acho que transmito fé às pessoas que me veem. Sou um exemplo de fé», vincou.





Notícias relacionadas


Scroll Up