Fotografia: António Silva

Católica defende profissão vivida em «espírito de missão»

Arcebispo de Braga apelou a uma participação ativa e proativa de todos e de cada um.

Carla Esteves
17 Mar 2019

Arcebispo de Braga instou, ontem, os recém-diplomados do Centro Regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa (UCP) a desempenhar a sua profissão com «espírito de missão». 

«Estamos no mundo para cumprir uma missão, mas também para ser uma missão», defendeu D. Jorge Ortiga, realçando que essa missão tem que ser exercida na terra e em cada um dos momentos do quotidiano, não podendo ser dissociada do exercício da profissão.

D. Jorge Ortiga falava durante a Sessão Solene de Bênção e Entrega de Diplomas e Prémios a Licenciados e Mestres 2017/2018, que juntou docentes, diplomados, familiares e amigos na Aula Magna da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais do Centro Regional de Braga da UCP.

O Arcebispo de Braga defendeu que «solenidade deste momento de entrega de diplomas deve levar àqueles que recebem o diploma e a todos os outros, em atitude de exame de consciência, a aspirar a uma boa profissão, que corresponda  aos gostos pessoais e permita uma vida tranquila».

Contudo, tendo como inspiração o n.º 273 da Exortação Apostólica  do Papa Francisco “A alegria do Evangelho”, D. Jorge Ortiga defendeu que «isto não é suficiente».

«Importa colocar ao serviço da comunidade os conhecimentos, em benefício das famílias, e não só, mas nunca poderemos contentar-nos em sermos apenas bons profissionais durante o tempo do trabalho. É toda a vida que está em jogo», afirmou, argumentando que «quando isto não acontece desviamo-nos do autêntico sentido que a vida deve ter».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up