Fotografia:
«As tendências do figurado vão mudando»

Testemunhos

Érica Martins
15 Mar 2019

Há muitos anos que a casa Fatimar fornece o vestuário para os figurados das várias procissões que integram a programação da Semana Santa de Braga. Um trabalho que é renovado a cada ano, de modo a acompanhar as tendências.

«Tentamos sempre renovar porque dentro do vestuário dos figurados as tendências vão-se alterando. É quase como acontece na moda. Temos de seguir uma tendência, mas há sempre quem prefira o tradicional», explicou Érica Martins, filha e neta dos fundadores da loja.

Como exemplo desta mudança, vincou, por exemplo, as coroas com aros – «mais pesadas e, por isso, desconfortáveis» – que, agora, dão lugar a tiaras. As rendas também fazem parte das novas tendências, caindo em desuso o cetim que, em alguns casos, é substituído por «outros panos que são até mais vistosos».

As cores utilizadas em cada uma das vestimentas também seguem uma regra muito própria, de modo a adequar-se ao momento vivido e retratado na procissão. No caso das da Semana de Braga, destacam-se as cores mais sóbrias, respeitando o tempo de pesar. O roxo, o preto e, por vezes, o rosa seco são as tonalidades predominantes. 

Os trajes são confecionados na fábrica da loja, em Cervães, Vila Verde. Na altura ainda não são conhecidos os figurantes, pelo que só numa data mais próxima do evento é que são tiradas as medidas e feitos os respetivos ajustes. «Fazemos muita quantidade para poder servir a qualquer pessoa», explicou.

Ano após ano, Érica Martins considera que tem vindo a crescer o número de figurados. «A Quinta e Sexta-feira Santas sempre foram imponentes, mas agora até na procissão de Domingo as pessoas estão a participar muito e isso é bom para a cidade», considerou.




Notícias relacionadas


Scroll Up