Fotografia: Nuno Cerqueira

Assalto a moradia em Famalicão termina em sequestro, um ferido e fuga com jóias

Três encapuzados sequestram e ameaçaram de caçadeira e revólver o jovem quando chegou a casa.

Nuno Cerqueira
21 Fev 2019

Assalto violento a moradia, no concelho de Vila Nova de Famalicão, fez um ferido. A situação ocorreu na Travessa da Boavista, em Oliveira São Mateus, entre a noite de ontem e a madrugada de hoje.

Os ladrões espancaram e sequestraram dentro da casa que assaltaram um jovem.

Segundo apurou o Diário do Minho no local, o alerta foi dado pela mãe do sequestrado que, ao chegar a casa, ouviu o filho a dizer para fugir, pois estava a ser assaltados. A mulher conseguir escapar e pedir socorro.

O Diário do Minho soube no local, através da autoridade, que o filho, com cerca de 28 anos, «foi mantido em cativeiro pelos ladrões cerca de duas horas. Além de ter sido espancado e ameaçado de caçadeira e revólver, este foi obrigado a revelar onde se encontrava os bens da família».

Para o local deslocaram diversos meios operacionais da GNR, incluindo uma Equipa de Intervenções em Situações Especiais de Ordem Pública (EISEOP) de Penafiel, duas equipas do Pelotão Intervenção Rápida (PIR) do Porto, o PIR de Braga, dois binómios de Braga, NIC de Guimarães, assim um oficial negociador do comando de Braga e elementos do destacamento da GNR de Barcelos e patrulhas de Famalicão e Riba de Ave.

A autoridade revelou ao Diário do Minho que «não se sabia ao certo se os ladrões estavam dentro de casa com o jovem sequestrado», sendo que as operações foram extremamente cuidadas, pois os assaltantes estavam armados e eram considerados perigosos.

Cerca das 03h00 a equipa tática EISEOP da GNR entrou em ação, penetrando no interior da casa e preparada para o possível confronto com os assaltantes. No entanto os suspeitos já haviam fugido, mas o jovem foi encontrado com vida, atado e amordaçado, em estado de choque, numa divisão da casa.

Os Bombeiros Voluntários de Riba de Ave socorreram a vítima, que apresentava vários hematomas e escoriações, que foi considerada um ferido ligeiro.

Tudo aponta que os ladrões terão levado vários objetivos de valor da casa, nomeadamente jóias.

A GNR investiga o caso.





Notícias relacionadas


Scroll Up