Fotografia: Nuno Gonçalves

Teólogo da esperança e jurista personalista doutores ‘honoris causa” pela UMinho

Frei Bento Domingues e Álvaro Laborinho Lúcio receberam o título.

Joaquim Martins Fernandes
15 Fev 2019

A atribuição dos títulos, que decorreu ontem no Salão Medieval da Reitoria da Universidade do Minho (UMinho), traduz o reconhecimento da «grandeza» e «importância» da obra de Frei Bento Domingues e de Álvaro Laborinho Lúcio.

O frade dominicano foi distinguido por ter colocado as grandes questões teológicas no centro do debate com a Cultura e o ex-ministro da Justiça pela dedicação com que tem pensado e defendido um modelo de educação personalista, centrado na figura do aluno.

O professor Moisés de Lemos Martins, que foi o padrinho do doutoramente de Frei Bento Domingues, destacou a «liberdade livre» do espírito «nada consensual» do teólogo que começou a afirmar-se na juventude, ao «colocar a esperança no horizonte da comunidade humana», trazendo «a a religião para o espaço público» e «fazendo dela o cerne do dabate sobre o humano».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up