Fotografia: Alexandre Gonzaga

BE lamenta falta de capacidade da Câmara para resolver «emergência» no Bairro do Picoto

Bloquistas pediram esclarecimentos à BragaHabit, que terá alegado falta de disponibilidade financeira.

Alexandre Gonzaga
7 Fev 2019

Um «pedido de socorro» lançado, na passada quinta-feira, dia 31 de janeiro, por um morador do Bairro do Picoto motivou a realização de uma reunião de emergência que contou, entre outros, com a participação dos deputados do Bloco de Esquerda (BE) na Assembleia Municipal de Braga, Alexandra Vieira e António Lima, o membro eleito da Assembleia de Freguesia da Junta de São José de Lázaro e São João do Souto, Alfredo Ribeiro, e o administrador executivo da empresa municipal BragaHabit, Vítor Esperança.

«Na passada quinta-feira [31 de janeiro], dia em que ocorreu uma chuva torrencial, um morador do Bairro do Picoto ligou para o BE lançando um pedido de socorro, pois chovia tanto na rua como dentro de casa», explicou Alexandra Vieira aos jornalistas, no final da reunião, na BragaHabit.

«Indagamos a BragaHabit acerca do programa “1.º Direito”, em vigor desde maio, e a empresa municipal respondeu que não tem verba para arranjar habitação para as famílias que se encontram em lista de espera, entre as quais, as do Bairro do Picoto. Além disso, foi-nos dito que as grandes prioridades da BragaHabit são as intervenções nos bairros de Santa Tecla e das Enguardas. No fundo, é um problema que transcende a BragaHabit no sentido da sua incapacidade financeira para uma solução de curto prazo», lamentou, por sua vez, António Lima, que garantiu que o BE irá solicitar uma reunião ao vereador do Urbanismo, Miguel Bandeira, para se tentar resolver o problema.

Refira-se que o administrador executivo da empresa municipal BragaHabit, Vítor Esperança, não participou no encontro com a comunicação social.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up