Espaço do Diário do Minho

Valorização do desporto
11 Jan 2019
Luís Covas

Num momento algo conturbado porque passamos, face a uma grande indefinição de políticas desportivas seguidas temos tido a preocupação de alertar para a necessidade de se darem as mãos e unir esforços para que realmente tenhamos no futuro um desporto mais risonho e consequentemente uma população mais saudável e feliz.

Tenho consciência que é mais fácil “dizer do que fazer”, mas gostaria muito que pudéssemos: “Dizer e Fazer!”. Significaria que, coerentemente, agindo como se pensa e pensando como se age, os objetivos definidos viriam a ser mais rapidamente alcançados. Assim, a exemplo de como um treinador planeia, exige, e o atleta cumpre, todos nós deveríamos também cumprir!..

Valorizar o jogador e o nível da qualidade do jogo constituirá o nosso maior desígnio, contando para o efeito com a preciosa e indispensável colaboração de todos os treinadores e agentes ligados ao fenómeno desportivo, que possam contribuir para esse efeito.

O importante é que todos dessem as mãos e deixássemos as guerrilhas que não servem para nada e seguramente que na tentativa de, juntos, podermos emprestar algum contributo, ainda que modesto, à valorização das modalidades e do nosso desporto.

Neste primeiro passo creio ser importante cumprir as nossas tarefas no “Dizer e Fazer!”, oferecendo colaboração, desinteressada, confiável e leal. Todos deveriam colaborar e poder contar com isso.

Obedecendo a um “plano de jogo”, procurar-se-á de forma sistemática promover e apontar como exemplo as boas práticas e denunciar e tentar corrigir, erradicando as outras, as más e tudo o que é nefasto.

O importante será arranjar soluções para todos os praticantes, particularmente para os jovens jogadores, valorizando a sua prestação, correspondendo às suas legítimas expetativas e valorização do seu nível técnico, a qualidade do jogo, para o qual tanto se tem discutido e debatido os problemas existentes, na procura do melhor caminho, tomando naturalmente como ponto de partida as boas referências, os melhores exemplos, e as boas práticas, constituindo um enorme desafio para todos. E, se procurarmos o melhor caminho naturalmente que “encontraremos esse caminho”, mas para isso é necessário uma base de compromisso!

Se tivermos presente que um qualquer programa de desenvolvimento deverá obedecer a uma estratégia, a uma planificação que, considerando os meios e recursos existentes, responsavelmente validados, porque competentes, seja capaz de os otimizar, estarão lançados os dados para se enfrentar o desafio, já que o tempo urge!

Nem que seja como um dia Carlos Manuel, internacional português em véspera de um jogo na Alemanha, referiu – “deixem-nos sonhar” e o sonho acabou por acontecer ou parafraseando aquele cantor que numa sua canção dizia – “o sonho comanda a vida!..”

Então mãos à obra que se faz tarde porque se é a felicidade que procuramos espero que a encontrem e certamente com a valorização do desporto poderemos viver muitos momentos de felicidade. Concebam e procurem momentos de alegria e sejam felizes.



Mais de Luís Covas

Luís Covas - 7 Jun 2019

Recentemente assisti à cena “tragédia cómica ou comédia trágica”, encenada pelo ator Diogo Infante, o Deus da Carnificina. Esta peça é protagonizada em palco por dois casais, que se juntam para abordar uma desavença entre os seus jovens filhos com cerca de onze anos de idade. Uma peça inquietante, pois como escreve o encenador na […]

Luís Covas - 3 Mai 2019

Nos últimos tempos muito se tem falado da importância da formação de atletas em virtude de alguns clubes se terem socorrido do trabalho efetuado com elevado sucesso, desonerando os custos de aquisição de jogadores e ter a possibilidade de encaixar muitos milhões de euros. No que diz respeito aos clubes de formação percebem-se os diferentes […]

Luís Covas - 5 Abr 2019

Muito se tem escrito e falado sobre o momento atual do desporto português em geral e  do futebol em particular. De há uns tempos a esta parte o tom acusatório subiu de voz e com tantos paineleiros, nos diversos canais televisivos, é natural que os temas em debate descarrilem e se tornem uma verborreia linguística […]


Scroll Up