Fotografia: Nuno Cerqueira
Tribunal volta a absolver alunos acusados da morte de três colegas em queda de muro

Julgamento em Braga.

Nuno Cerqueira
9 Jan 2019

O Tribunal Judicial de Braga absolveu os quatro alunos da Universidade do Minho (UMinho), em acórdão proferido hoje, acusados de homicídio negligente, na sequência da morte de três colegas atingidos por um muro, em abril de 2014.

O Ministério Público havia pedido a absolvição dos arguidos, por não ter sido possível apurar quais foram as causas da queda do muro, algo que o coletivo de juízes aceitou.

Os advogados de defesa sempre defenderam que quem devia se sentar no banco dos réus eram o administrador do condomínio servido pelo muro (uma estrutura que albergava caixas do correio) e dois elementos da Câmara de Braga.

Recorde-se que o caso remonta a 23 de abril de 2014, quando, para celebrar uma vitória numa “guerra de cursos”, no âmbito de uma ação de praxe, quatro alunos da UMinho foram para cima de um muro que acabou por ruiu, matando três estudantes que estavam na base, também a celebrar.

O Tribunal Judicial de Braga já havia absolvido os quatro alunos, mas o Tribunal da Relação de Guimarães ordenou a repetição do julgamento, pedindo a realização de uma nova perícia aos destroços do muro para aferir das verdadeiras causas da queda.

Algo que o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) disse ser impossível realizar.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up